RCO fecha Concrete Show com vendas de novas centrais dosadoras

Mais de 15 contratos de compra foram realizados durante os três dias do evento. Depoimentos de clientes reforçam estimativa de crescimento da empresa em 2015

Criada há apenas seis meses, a Global Mix acumula a experiência de seus dois sócios – Brunno Sena e José Amaro – no mercado de concreto. Arrojada, a companhia localizada em Goianésia (GO) quer ganhar espaço no mercado de produção de concreto e placas pré-moldadas. Já a Cal Concretos, de Miritituba (PA), está de olho na expansão de projetos portuários em sua região. O que as duas empresas têm em comum – além de não falar em crise – é a necessidade de soluções adequadas em centrais dosadoras. E ambas são clientes da RCO que passaram pelo estande da empresa na Concrete Show. “Eles são empreendedores que investem em tecnologia e que comprovam nossa previsão de crescimento de 20% em 2015”, argumenta Carlos Donizetti de Oliveira, diretor executivo da fabricante.

Compradora da primeira Nomad D-20 na Concrete Show, um dos equipamentos expostos no estante, a Global Mix aposta na tecnologia embarcada e no pós-venda. “Os serviços que prestamos exigem mobilidade para atender o cliente final, o que a nova Nomad oferece”, explica o sócio proprietário Brunno Sena. José Amaro, também sócio proprietário, lembra que os dois empreendedores já conheciam a RCO de nome e por indicações de parceiros, com destaque pelo fato da empresa ser uma referência na área de silos e de centrais dosadoras. “Esperamos que o novo equipamento nos ajude a alcançar nosso objetivo, que é combinar qualidade, rapidez e precisão de horários”, completa Sena.

A Celestium Engenharia é outra empresa que formalizou a compra de equipamentos da RCO ainda durante a feira. Cesar Paulo de Moraes Ribeiro, diretor geral da empresa, destaca que já vinha pesquisando a central dosadora CDR-40 pela internet. “Acabei conhecendo a RCO há pouco mais de um mês. Nem programei fazer a compra na feira, nós viemos apenas visitar”, adianta. “Vimos o estande e negociamos. E saímos com o equipamento comprado”, destaca o executivo.

De acordo com ele, o que chamou a atenção da Celestium na hora de comprar o equipamento foi o histórico da RCO. “É uma empresa que já atende o Brasil todo e expande-se para outros países e, por ser uma companhia familiar, nos coloca em maior proximidade com quem tem o poder de decisão, o que favorece a negociação”, explica Ribeiro.

A já citada Cal Concretos também confirma a assertividade da RCO na Concrete Show. A empresa, dirigida pelo engenheiro civil Carlos Cezar Corrêa, tem como objetivo atender os portos que existem na região da cidade paraense onde está sua sede. Com bastante movimentação de transporte fluvial, a região demanda obras nas estruturas portuárias locais.

“O mercado logístico definiu nossa decisão de criar a concreteira”, adianta Corrêa. Donos de uma central dosadora CDR-40, a Cal Concretos negocia a aquisição de uma CDR-60. “Apostamos no slogan de Inovabilidade Sempre, da RCO, pois está dando certo. Em termos tecnológicos, o equipamento atendeu nossas expectativas”, argumenta o diretor.

Já a Welmix Concreto, sediada em Uberlândia (MG), é outro cliente que conhece a tecnologia da RCO – tendo adquirido uma central de concreto, modelo CDR-40, em 2013 -, que esteve no evento. O equipamento trabalha com uma produção de 40 m³/h e até o final de agosto desse ano já teria produzido cerca de 14 mil m3 de concreto.  “Estamos muito satisfeitos com o equipamento, que vem atendendo todos os requisitos necessários. O que mais nos surpreendeu, no entanto, foi o suporte de pós-vendas oferecido pela RCO”, destaca o gerente de Produção e sócio-proprietário Cassio Alvim.

“Trabalhamos com diversos fornecedores e temos que correr atrás deles quando precisamos de algum suporte. Mas com a RCO, não. A empresa sempre se antecipa, fazendo visitas periódicas para acompanhar o funcionamento da máquina e solucionar qualquer problema que possa vir a aparecer”, afirma Alvim.

Para Oliveira, o depoimento dos clientes é a melhor tradução do relacionamento que a empresa estabeleceu nos últimos anos. “É importante destacar que o crescimento que estamos estimando para 2015 tem bases sólidas”, diz. Segundo o diretor geral da RCO, a base do incremento da empresa é a maior participação num mercado com novas empresas do setor de concreto, de olho em novas oportunidades de negócios. “Criamos uma área específica, o SAD, sigla para Serviço Ampliado Direcionado, justamente para consolidar toda a experiência de pós-venda”, complementa.

Segundo ele, o departamento tem uma agenda prevista de 700 auditorias in loco nos clientes da RCO até o final do ano e já cumpriu quase metade da meta. Além da proximidade com os clientes, Oliveira aposta na inovação tecnológica, caso da nova central Nomad D-20, apresentada na feira, e do silo aparafusado de 3.000 mm de diâmetro, outro lançamento do evento que tem como característica a montagem e desmontagem rápida. O equipamento é mais uma solução da RCO que atende as demandas de maior mobilidade, principalmente entre as empresas de pequeno e médio porte do segmento concreteiro.

RCO fecha 15 novos negócios na Concrete Show South America

Os equipamentos mais vendidos foram a central de concreto NOMAD-D20 e o silo horizontal L2200, lançamentos da companhia para o evento

Os três dias de Concrete Show South America renderam bons frutos à RCO, fabricante de centrais de concreto e silos de armazenagem, localizada em Tambaú (SP). A companhia comprova a afirmação com a divulgação de um balanço sobre o evento, que aconteceu entre os dias 26 e 28 de agosto. De acordo com a empresa, foram fechados 15 novos negócios durante a feira, grande parte deles motivada pela condição de preço especial para o evento.

A central dosadora de concreto NOMAD D-20 e o silo horizontal de armazenagem L2200, lançamentos da RCO para o evento, foram os equipamentos com o maior número de contratos fechados, além de outras soluções RCO em silos de armazenagem e centrais de concreto, como outros modelos da linha NOMAD. A nova central chegou ao mercado com o objetivo de atingir, principalmente, pequenos e médios empreendimentos: sua capacidade é de 20m³/h, o que permite uma produção mensal que varia entre 2000 e 3000 metros cúbicos, possibilitando que centrais dosadoras tradicionais sejam substituídas por ela. O diferencial também está na rapidez de montagem e operação, na mobilidade – pelo fato de não precisar de fundações-, e pela necessidade reduzida de veículos para transporte. Essas características fazem com que o equipamento seja ideal também para obras com altura restrita.

Carlos de Oliveira, diretor da RCO, explica que o número de vendas no evento é o resultado de uma ação conjunta. “Levamos mais de 15 pessoas entre atendimento comercial e suporte técnico”, diz. “Além disso, houve também a constante participação das equipes de engenharia e produção da empresa”, complementa.

O otimismo do executivo não se esgota ao período de feira. De acordo com ele, o desempenho da RCO na Concrete Show refletirá em novos negócios até o final do ano. “Aumentamos nossa visibilidade de mercado com a qualidade técnica e atendimento diferenciado. Essas características devem render novas negociações no decorrer do segundo semestre”, finaliza.

RCO é patrocinadora exclusiva do aplicativo mobile do Concrete Show South America 2015

Simples e de fácil manuseio, o aplicativo pode ser instalado de forma gratuita nos smartphones com sistema operacional Android e IOS

Para garantir a organização e a interatividade aos visitantes do evento, os organizadores do Concrete Show South America, em parceria com a RCO, mantiveram a novidade lançada em 2014: um aplicativo para celulares que otimizará o tempo e a experiência dos participantes. Patrocinado exclusivamente pela RCO, fabricante de centrais de concreto e silos que participa da feira pelo terceiro ano consecutivo e já se encontra entre os principais expositores, a tecnologia tem como objetivo orientar os usuários com informações gerais de tudo o que acontece durante os três dias de feira, possibilitando conhecer rapidamente e de forma direcionada os expositores do evento.

Para os visitantes, informações variadas sobre o evento são disponibilizadas (ver quadro abaixo), facilitando e otimizando o processo de visita aos variados ambientes da feira. De acordo com Carlos Donizetti de Oliveira, principal executivo da RCO, o patrocínio exclusivo do aplicativo pela empresa mostra e reafirma o posicionamento de mercado da fabricante. “Estarmos alinhados com plataformas digitais de interação é uma ação que reforça nosso slogan: “Inovabilidade, sempre.”, diz. Ainda de acordo com ele, as expectativas para a edição 2015 do evento são positivas, mesmo em um ano em que a economia brasileira encontra-se abalada. “Estamos confiantes e acreditamos que novos negócios estão por vir. O foco da companhia está em ampliar o trabalho e marcar cada vez mais espaço no mercado”, finaliza.

A 9ª edição do Concrete Show South America acontece entre os dias 26 e 28 de agosto, no São Paulo Expo (antigo Centro de Exposições Imigrantes). Considerado e reconhecido como um dos mais importantes pontos de encontro da construção civil mundial, sendo o maior na América Latina e 2º maior do mundo no segmento, o evento contará com diversas soluções tecnológicas para a cadeia produtiva do concreto e da construção civil, com a participação de diversas empresas da cadeia de pavimentação, terraplanagem, soluções em administração de materiais e suprimentos, movimentação de materiais, equipamentos, entre outros.

Para download do aplicativo, clique no link: http://concreteshow.com.br/pt/visitar/aplicativo-mobile, e comece a interagir desde já com o Concrete Show South America.

Funcionalidades do aplicativo

 

  • Relação de expositores nacionais e internacionais;
  • Planta interativa do evento;
  • Opções de rotas para circulação no pavilhão;
  • Localização dos stands;
  • Informações sobre expositores e seus respectivos produtos e serviços;
  • Atrações e serviços do evento;
  • Notícias em tempo real sobre a feira;
  • Programação completa de cursos e seminários

Na contramão da crise, RCO amplia fábrica em Tambaú, lança novos produtos e prevê crescimento de 20% em 2015

Empresa também cria índice para avaliar desempenho de centrais de concreto e silos de armazenagem. Novidades serão apresentadas na edição 2015 do Concrete Show, que acontece de 26 a 28 de agosto no São Paulo Expo

Carlos de Oliveira, Diretor da RCO

O ano de 2015 teria tudo para brecar a RCO: a construção civil, de modo geral, está em modo de espera e os projetos de infraestrutura também caminham a passos lentos. Mas a empresa, fabricante de centrais de concreto e silos de armazenagem, resolveu partir para o ataque. A estratégia é aperfeiçoar seus produtos, criando equipamentos diferenciados e com maior tecnologia, ampliar o conhecimento detalhado dos clientes e investir nas suas duas unidades de produção sediadas em Tambaú, no interior de São Paulo. Em termos de resultados, as iniciativas devem levar ao crescimento de 20% em 2015, percentual suportado tranquilamente pelo aumento de 35% nas instalações de sua fábrica principal. “Nossa meta é totalmente realista, porque estamos ganhando espaço de mercado, mesmo que o crescimento seja mínimo em 2015”, resume Carlos Donizetti de Oliveira, diretor executivo da RCO.

Reforçando o conhecimento do “padrão de uso” no cliente  

A experiência de mais de 20 anos de mercado, e há 07 atendendo o mercado consumidor de centrais de concreto e silos de armazenagem deu à RCO um fôlego para posicionar equipamentos como a tecnologia de silo horizontal adotado pelo Consórcio Linha 4 Sul, construtor da linha 4 do Metrô do Rio de Janeiro. Mas, desde 2014, a empresa criou um departamento exclusivo para entender melhor o que os usuários esperam de centrais de concreto e silos de armazenagem. Trata-se do Serviço Ampliado Direcionado (SAD). O departamento tem uma agenda prevista de 700 auditorias in loco nos clientes da RCO até o final do ano.

O levantamento mais recente envolveu a visita a mais de 250 plantas no Brasil e apontou os principais pontos de melhoria. “Com base nos dados reais de operação, criamos o Índice RCO, que mede a performance das centrais e silos de concreto, ressaltando o aumento da produtividade e conferindo maior segurança em campo”, explica Oliveira. Inédita no setor, a criação do SAD cria uma massa crítica de informações que pode orientar novos clientes da RCO a tirarem o máximo de produtividade de seus equipamentos.

 

Novos equipamentos para novos mercados

Nomad D-20

O melhor conhecimento do cliente – e do momento atual da economia brasileira – também impulsionou a RCO a destacar soluções mais compactas para empresas que começam a entrar no mercado de produção de concreto. Duas dessas soluções são destaques no Concrete Show desse ano: a Central Dosadora de Concreto Móvel Nomad D-20 e o Silo Aparafusado Vertical com diâmetro de 3000 mm. Nos dois casos, a principal característica é a mobilidade. O silo, por exemplo, com montagem aparafusada permite que seja deslocado, rapidamente de uma obra a outra, diferenciando-se dos modelos montados com solda. Além disso, a logística para transporte destes novos equipamentos é reduzida e ainda podem ser transportados em contêineres. Já a Nomad D-20, com capacidade para 20 m³/h, pode substituir centrais dosadoras tradicionais. No Concrete Show 2015, ela será apresentada em conjunto com um silo horizontal, outra diferenciação da RCO. “Ambos representam bem nossa campanha “Equipamentos Compactos – Grandes Resultados”, nosso mote para novos mercados.”, explica Oliveira.

A Nomad RCO acaba de ser escolhida como a vencedora do Prêmio Techné de Inovação na Construção Civil 2015 – iniciativa da Editora PINI em conjunto com a Revista Téchne, cujo objetivo é identificar e premiar empresas pelo desenvolvimento de produtos, sistemas construtivos ou equipamentos inovadores, capazes de melhorar a produtividade nas obras e o desempenho do ambiente construído.

Tecnologia de ponta já adotada no Brasil

Além de novas soluções, a RCO vai destacar soluções inovadoras já adotadas no Brasil. É o caso do silo horizontal, cuja maior vitrine brasileira é a construção da Linha 4, do Metrô do Rio de Janeiro. Três deles estavam alocados na obra e foram especialmente desenhados em função da limitação de altura dos túneis da via em construção. A eficiência do equipamento é garantida pelo sistema de extração de material exclusivo da RCO, onde o processo é realizado através de rosca transportadora tipo calha. Essa tecnologia oferece escoamento perfeito do material devido ao contato que ele tem com a rosca transportadora ao longo de todo o percurso do helicoide (hélice), presente na parte inferior do silo.

Silo pro horizontal RCO

A marca RCO também está presente em processos inovadores como o da AVS Artefatos, do Rio Grande do Sul. Fabricante de blocos de concreto leve, a companhia é a primeira, no Brasil, a adotar o poliestireno (isopor) como ingrediente da produção de concreto leve, material que pode reduzir, em média, 30% do custo total de obras. Além de sustentável, a tecnologia agrega uma economia média de 30% no custo final de uma obra em relação à alvenaria tradicional. Na planta da fabricante gaúcha, os dois silos modelo S-70-98, têm capacidade para armazenar 98 toneladas de materiais: um deles é abastecido com cimento Portland e o outro com cinzas volantes de carvão, operando em sincronia para abastecer os equipamentos de mistura que alimentam a produção do bloco celular.

Dispositivo garante maior segurança aos silos

Sistema de segurança para silos comercializado pela RCO

Outra novidade da RCO no Concrete Show 2015 é o dispositivo que aumenta a segurança da operação de silos verticais e horizontais da própria marca ou de outros fabricantes. O sistema inclui sensores, painéis eletroeletrônicos e avisos sonoros, indicando os níveis de armazenagem do silo. A tecnologia também monitora a ocorrência de excesso de pressão no interior do equipamento. Com esses dados, os técnicos e responsáveis conseguem evitar possíveis riscos de explosões ou implosões, acidentes com colaboradores e entupimentos de filtros. Além da segurança dos operadores, o dispositivo de segurança amplia a durabilidade estrutural do silo. “O risco de explosões sempre deve ser avaliado, principalmente em locais fechados como os túneis, mas a instalação do dispositivo é opcional”, detalha Oliveira.

Projeto FIT avança como novo formato de negócio

Primeira no Brasil a oferecer um processo completo para instalação de usinas de concreto, incluindo planejamento, processos e equipamentos eficientes, a RCO vai reforçar a “inovabilidade” do Projeto FIT. Diferenciado, o modelo inclui serviço completo de consultoria para dimensionamento do negócio, incluindo escolhas logísticas, definições dos equipamentos e treinamento de mão de obra. Esta inovação inclui ainda um roteiro completo de informações necessárias para o planejamento estratégico na montagem de plantas para produção de concreto usinado.

O FIT está apoiado em três pilares: inteligência, economia de recursos e redução no período de implantação. Entre os principais serviços, o FIT oferece estudo de viabilidade econômica e elaboração do planejamento estratégico, incluindo aspectos de marketing, organograma e projeções de fluxo de caixa. “Ainda engloba projeto arquitetônico, instalação e start-up dos equipamentos e construção de prédio administrativo”, completa Oliveira.

Para comprovar a eficiência do projeto, a RCO está construindo uma planta piloto em Tambaú, interior de São Paulo, ao lado da filial da empresa. Dessa forma, clientes e parceiros poderão acompanhar de perto o funcionamento do FIT.