M&T Expo 2012

Começou no dia 29 de maio e se extenderá até dia 2 de junho a feira M&T Expo 2012, considerada um dos grandes eventos ligados à construção civil e à mineração, expondo soluções e inovação para estes segmentos.

No Centro de Exposições Imigrantes, a M&T Expo 2012 refletirá o aquecimento que do setor marcado por índices otimistas e ascendentes desde as últimas edições. Nesta edição, em uma área de 110 mil m² de espaço entre pavilhões, áreas externas e piso superior, os visitantes terão acesso a 493 expositores, sendo 226 internacionais; com estimativa de  45 mil visitantes.

Embora atualmente a economia esta em desacelaração, a organização do evento estima uma movimentação de R$ 1,2 bilhão,  ou 20% a mais que na última edição, realizada em 2009. O valor representa 10% do total faturado anualmente pelo setor no País.

M&T Expo: desaquecimento econômico, licenças ambientais e contingenciamento do PAC não desanimam organizadores e expositores - Credito: Revista Grandes Construções

 

Governo anuncia novo pacote de estímulo

O governo anunciou ontem (21 de maio) novo pacote de medidas em que praticamente reduziu a zero o juro real dos financiamentos para aquisição de máquinas, equipamentos e projetos de obras, para os quais os custos das linhas caíram de 7,3% para 5,5% – a projeção de inflação nos próximos 12 meses é de 5,51%, segundo o boletim Focus. Já as operações de crédito ao consumidor tiveram o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) reduzido de 2,5% para 1,5%.

A maior parte das medidas voltadas para o consumo visa desencalhar os estoques da indústria automobilística. Houve diminuição geral das alíquotas do Imposto sobre Produtos Industrializados para carros e demais veículos automotores. Para tornar possível a ampliação de crédito para a compra de veículos, o Banco Central fez redução direcionada de R$ 18 bilhões dos depósitos compulsórios dos bancos.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse que as medidas anunciadas ontem foram negociadas com empresários e banqueiros e que cada um fará sua parte: o governo cortará os tributos, a indústria automobilística reduzirá os preços dos veículos e os bancos se comprometeram a reduzir os juros dos empréstimos, aumentar o número de prestações e reduzir o valor da entrada.

Fonte: Valor Econômico

Dia 25 de Maio – Dia da Indústria e do Industrial

A indústria representa, entre os segmentos da economia, o setor secundário. Conceitualmente denomina-se indústria todo espaço onde há produção porém a terminologia hoje atingiu uma amplitude maior como indústria cultural (produção de produtos culturais) ou indústria agrícola (envolvendo plantio, colheita e distribuição de produtos agrícolas). Mas, basicamente, associa-se o termo à indústria manufatora onde ocorre a modificação de insumos naturais usando trabalhos manufatureiros ou mecânicos.

A indústria como a conhecemos tem origem na importante Revolução Industrial na Inglaterra do século XVIII. Porém, no Brasil, o surgimento de um parque fabril mais abrangente deu-se mais tarde. Já na década de 90, as indústrias aqui instaladas entraram em regime de competitividade com aumento da produção através da modernização de seus processos.

Ao longo deste período, desde sua formação, a indústria em geral passou por novos conceitos em gestão de processos, o surgimento do sindicalismo, tecnologia para aumento de produtividade mencionando também os novos parâmetros de produção para redução de impactos ambientais, que, cada vez mais, ficam mais fortes e decisivos para sobrevivência perante o mercado consumidor. 

Embora hoje a indústria brasileira, gerando mais de 20 milhões de empregos, vislumbra um aquecimento econômico do país e como consequência um crescimento sustentável, há ainda alguns entraves que são pauta de discuções perante o governo federal como tributações excessivas e redução de burocracia, condições essas que tornariam as empresas mais competitivas e modernas perante o restante do mundo.

Neste dia 25 de maio, que a indústria continue sendo um dos principais pilares econômicos, gerando renda, inovação e  futuro próspero ao país e aos seus cidadãos.

PAREX Brasil adquire Silos Soldados RCO

A PAREX Brasil, empresa multinacional de argamassas e rejuntes para construção civil, adquiriu Silos Soldados RCO para armazenagem de cimento e areia, considerados matérias-primas para a fabricação de seus produtos.

Os Silos já estão em operação na unidade de Goiânia, Goiás, e ainda contam com estruturas e dispositivos acessórios como escadas de acesso, indicadores de nível, válvulas de pressão e filtros.

O equipamento obteve uma perfeita adequação à necessidade da empresa Parex  gerando assim argumentos favoráveis para uma nova aquisição da solução RCO para uma outra planta fabril da Parex.

Silos Soldados RCO de 100 t. cada: solução adequada que gerou novas solicitações para outras plantas.

Como especificar ou dimensionar silos? Use a régua.

Ao se levantar a necessidade da aplicação de um silo  mais adequado ao processo, dimensões e especificações técnicas do equipamento deverão ser criteriosamente consideradas. A começar pela sua capacidade volumétrica ou em peso de armazenagem do silo, densidade do material a ser armazenado e outras dimensões como diâmetro e altura que tem refletem no layout periférico ao equipamento.

A RCO já possui as especificações de silos fechadas em modelos com códigos onde facilitam a escolha da melhor solução para a necessidade do cliente. E, para facilitar ainda mais, os modelos estão organizados em uma régua deslizante exclusiva denominada Régua de Especificações de Silos RCO. Esta régua é composta por dados técnicos dos modelos de silos RCO que, a deslizarem por uma máscara específica, mostra-se as informações pertinentes aos modelos.

 
 

 

Dimensões, modelos e outros dados técnicos: tudo em um mesmo lugar.

 

A Régua de Especificações de Silos RCO é um material muito útil para encontrar a solução mais adequada em armazenamento para seu processo. E certamente agiliza o processo de decisão.

Portanto, ao especificar silos, use somente a régua.

*Entre em contato conosco para solicitar a sua Régua de Espeficição de Silos RCO, pelo e-mail mkt@rco.ind.br, enviando seus dados completos de empresa e endereço, ou também pelo site em www.rco.ind.br/contato

E quando desmontar é a vantagem…

Em toda obra, em especial as de grande porte, demanda-se planejamento intenso para que a execução da mesma flua sem interrupções e com baixo índice de imprevistos. Um dos critérios importantes é a logística, isto é, a gestão de recursos, equipamentos e informações para execução de determinadas tarefas numa empresa ou ainda a gestão de um projeto na construção civil.

Para obras civis de grande porte, além do fluxo para o abastecimento de insumos básicos como cimento, recebe-se grande atenção de logística  o deslocamento de equipamentos que integram o canteiro de obras como guindastes, máquinas e a movimentação e montagem em campo de silos para armazenamento de cimento. Dependendo da demanda de cimento na obra, um silo pode compor-se de grandes dimensões, como o modelo de Silo Aparafusado RCO A-2012-2200, cujo diâmetro atinge 11 metros e mais de 30 metros de  altura, dos pés ao teto. Portanto, um equipamento que demanda transporte especializado e escoltado, em alguns casos.

E é nestas condições que a desmontagem torna-se vantajosa. Para agilizar e facilitar o deslocamento deste grande equipamento os Silos Aparafusados RCO tem a possibilidade da desmontagem de grande parte de sua estrutura. Com o equipamento desmontado, torna-se mais fácil e barato seu deslocamento até o canteiro de obras para o processo de montagem na base civil. Além disso, poderá ocorrer também a utilização do mesmo equipamento em uma obra futura, já que os Silos Aparafusados RCO tem esse diferencial de montagem e desmontagem modular, além da robustez das peças integrantes.

A ocorrência da reutilização de um mesmo equipamento em outra obra deu-se, por exemplo,  no projeto de reforma da Base de Alcântara, no Maranhão. Os Silos Aparafusados RCO que já estão em operação na reforma vieram de uma obra já concluída, onde foram utilizados para armazenagem de cimento. Com a conclusão da Hidrelétrica de Foz do Chapecó, em Santa Catarina, os silos foram desmontados e deslocados até a obra de Jirau, no estado de Rondônia e então posteriormente para o Maranhão, para que fossem novamente montados, tendo num total de mais de 6.000 km em deslocamento.

Mesmo com a distância entre as obras, mostra-se que um dos diferenciais técnicos do equipamento RCO é a desmontagem e a durabilidade, onde o custo benefício do equipamento pode ser confirmado, além de contribuir para a gestão logística da obra.

Silo Aparafusado RCO em Alcântara, no Maranhão: a possibilidade da desmontagem permitiu o deslocamento de mais de 6.000 km a partir de Santa Catarina e passando por Rondônia.

Silo RCO é fornecido para a Ajinomoto

Silos RCO com 80 m³ de capacidade na planta da Ajinomoto de Laranjal Paulista.

Silos RCO estão cada vez mais sendo aplicados em diversas finalidades e segmentos industriais. Silos atendem a necessidade primária de armazenamento de componentes para aplicação no processo produtivo. Na indústria alimentícia Ajinomoto, na unidade de Laranjal Paulista,  não foi diferente.

A Ajinomoto adiquiriu dois Silos RCO com capacidade de 80m³ para armazenamento de carbonato de cálcio. Com uma estrutura soldada e, baseando-se em silos no padrão RCO, o equipamento foi customizado conforme a necessidade do processo. O silo para Ajinomoto ainda conta com alguns aprimoramentos focados em segurança e melhor funcionalidade como escadas em lance, maior número de  fluidizadores para escoamento do material armazenado e maior número de sensores de nível.