RCO fornece silos para a Votorantim atender a usina Belo Monte

 


A RCO forneceu e instalou para Votorantim três unidades de silos de 100 toneladas cada.
O equipamento será usado na fabricação do cimento que atenderá 100% da obra da usina de Belo Monte, no Rio Xingu, no Pará. A obra exigirá um total de 1 milhão de toneladas de cimento ao longo de quatro anos.

Maior produtor de cimento do Brasil, o Grupo Votorantim é fornecedor de cimento para as usinas Santo Antônio e Jirau, no Rio Madeira (RO), que também possui silos RCO instalados.

A Usina Hidrelétrica de Belo Monte é uma central hidrelétrica que, quando instalada terá potência para produzir aproximadamente 10% do consumo nacional de energia. Em potência, a usina de Belo Monte será a terceira maior hidrelétrica do mundo.

Cursos de Capacitação chegando em Tambaú.

RCO participa em reunião em 12/09,  junto com Associação Comercial, Prefeitura  local e Camara juntamente com profissionais do Senai São Paulo e de São João da Boa Vista.Para concretizar parceria de cursos de formação de profissionais na área metalúrgica e de cerâmica.

Esta reunião foi fruto, de encontros anteriores realizados com os representantes do SENAI e órgãos locais  a pedido da RCO.
Este ano, começam estes cursos de curta duração.

Uso do concreto aumenta 180% em 7 anos

Foto: Luiz Setti

Os dados foram apresentados ontem em pesquisa da Associação Brasileira de Cimento Portland

O concreto, produto encontrado em praticamente todas as construções, registrou um aumento de 180% no mercado de construção civil brasileiro, entre 2005 e 2012, de acordo com uma pesquisa inédita produzida pela empresa e8 Inteligência, em parceria com a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP). Esse percentual reflete o processo de crescimento que o setor de construção civil como um todo vem passando no Brasil, impulsionado pelos fatores macroeconômicos e incentivos governamentais, como a criação dos programas federais Minha Casa, Minha Vida e o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Os dados foram apresentados durante a 7ª edição do Concrete Show South America, feira que acontece até hoje no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo, reunindo 580 expositores nacionais e internacionais do mercado de concretagem da cidade.

De acordo com a pesquisa, no segmento de edificações, a utilização do sistema construtivo de paredes de concreto aumentou significativamente a participação de mercado das concreteiras, enquanto que o PAC impulsionou o mercado nas obras de infraestrutura. “Uma das justificativas para esse crescimento expressivo é o aumento da utilização dos sistemas construtivos à base de cimento, que vêm ganhando a preferência das construtoras. Outras explicações para esse cenário envolvem a necessidade de apresentar inovações produtivas, adequação às restrições ambientais e logísticas e adoção do padrão de especificação do concreto”, revela Eliana Taniguti, diretora geral da e8 Inteligência.

Tudo isso fez com que a demanda por concreto via concreteiras crescesse 136% entre 2006 e 2011. Para os próximos cinco anos, Eliana prevê que o setor registrará um crescimento de 5% ao ano, já que a demanda por esse tipo de produto não para de crescer no País. A estimativa é de que o setor de concreto atinja 72,3 milhões de metros cúbicos em 2017, crescimento de 41,2% no período de cinco anos. “O nicho da autoconstrução, principalmente nos grandes centros urbanos, está passando a utilizar concreto dosado em central. Existem concreteiras que possuem canal específico para atender este segmento. É um mercado que possui possibilidade de expansão”, explica a diretora geral da e8 Inteligência.

O diretor de mercado da ABCP, Valter Frigieri, considera que a mudança da cultura dos construtores também é um fator que colabora com esse cenário. Ele cita as compras de concreto diretamente nas centrais, ou seja, com as produtoras, em maior número nos últimos anos do que os casos em que o concreto é preparado no próprio canteiro de obras. “O concreto preparado em centrais cresce a uma taxa superior ao crescimento da construção civil porque seus sistemas construtivos têm ganhado a preferência dos construtores e porque tem caído o número de obras que rodam concreto sem o uso do serviço das concreteiras”, considera. Frigieri destaca que há 92 mil construtoras no Brasil que utilizam o concreto, por isso, afirma que as previsões do mercado são bastante positivas.

A pesquisa contemplou mais de 300 entrevistas com profissionais de todos os elos da cadeia de concreto, que são os fornecedores, os produtores e os sistemas construtivos, para analisar as características do uso do concreto, as principais mudanças ocorridas nos últimos cinco anos e as tendências para os próximos cinco anos. Entre as novidades que deverão ser relatadas até 2017, a pesquisa cita o aumento da resistência à compressão do concreto, a evolução nos concretos fluidos, a otimização do concreto com evolução das receitas dos agregados e as novas funções do produto, que incluem a autolimpeza, a autorrecuperação e a alta capacidade térmica.

 

Concrete Show

 

A 7ª edição do Concrete Show, que termina hoje em São Paulo, trouxe as principais inovações tecnológicas do setor de concreto, em um espaço de mais de 62,5 mil metros quadrados de exposições de produtores nacionais e internacionais. O evento reuniu mais de 30 mil profissionais do setor, que puderam fazer um networking e apresentar os maquinários, sistemas construtivos à base de cimento, serviços e produtos de destaque.

“O mercado da construção civil está em um momento muito importante de mudanças e o uso da tecnologia é um dos pontos fortes desse processo. Trabalhamos com nossos parceiros para fazer a feira refletir o contexto e mostrar as infinitas possibilidades que o setor está vivendo”, relata Cláudia Godoy, diretora geral da Concrete Show.

Entre os expositores da feita estava o Grupo Votorantim, que possui unidades na região. O estande da empresa simulou um canteiro de obras e um viaduto que recebeu a aplicação de galvanização em seus vergalhões. O espaço, de 300 metros quadrados, demonstrou as aplicações de produtos da Votorantim Cimentos, Votorantim Siderurgia e Votorantim Metais para a construção civil. O estande apresentou a Decoratta Itaú, um novo produto para acabamento final, desenvolvido pela área de Pesquisa e Desenvolvimento da empresa, que possui vantagens em tempo e custo para obra.

O sistema que produz a parede inteiramente de concreto também foi bastante difundido na Concrete Show, justamente por conta de uma nova norma, publicada em abril pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), que aborda requisitos gerais para a qualidade da parede, critérios de projeto, materiais, análise estrutural, dimensionamento e procedimentos para a fabricação da parede, entre outros aspectos. Algumas produtoras de concreto exibiram moldes dessa parede na feira.

Fonte: Cruzeirodosul

RCO avalia participação na Concrete Show 2013

Novidade em Central de Concreto foi destaque do evento 

São Paulo, 03 de setembro de 2013 – A RCO avalia com sucesso sua participação na 7ª edição da Feira Internacional Concrete Show, que aconteceu de 28 a 30 de agosto, em São Paulo/SP. Com muitos visitantes ao estande e boas perspectivas de negócios, a RCO fecha com saldo positivo sua exposição no maior evento para o setor de construção civil e cadeia produtiva do concreto.

No evento foi apresentado ao mercado a Central Nomad RCO, a nova central de concreto desenvolvida pela equipe de engenharia da empresa e que traz inovação por ser a única a reduzir de três para menos de um dia o tempo de instalação, vantagem competitiva para o cronograma de grandes obras. O custo reduzido, sem perder a durabilidade e qualidade já conhecidas dos produtos RCO, é outro benefício da Central Nomad RCO. Também foram apresentados outros produtos com a qualidade e inovabilidade RCO, como os Silos Horizontais e a Central Dosadora CDR-80 completa,  equipamento que já registrou recordes de produtividade.

Sobre a RCO

A RCO oferece soluções eficientes e inovadoras para os processos industriais, com foco em silos para armazenagem e centrais dosadoras de concreto. Além da construção civil, outros setores contam com a inovabilidade da RCO e com a durabilidade de seus equipamentos industriais. Fundada em 1991, com sede em Tambaú/SP, a RCO atua com a premissa de que a competitividade das indústrias, em qualquer segmento, está diretamente ligada a ter produtos que atendam às suas necessidades específicas, com baixa necessidade de manutenção e com muita qualidade. Por esta razão, todas as soluções RCO seguem à risca a filosofia empresarial de atender os clientes com agilidade, capacidade técnica e eficiência nos processos.

 

 

Informações para Imprensa

imprensa@rco.ind.br
Edna Lira
(19) 9916-4395

RCO: Reportagem no Express & Star

A RCO foi citada em reportagem do Express & Star, um dos mais populares jornais regionais da Grã-Bretanha. A nota da edição de 23 de agosto é sobre a empresa Pressvess, um das principais na Europa na fabricação de sistemas de armazenagem, e cita o importante acordo firmado entre a Pressvess e a RCO este ano para a oferta de silos horizontais no mercado brasileiro e América do Sul.