Tecnologia em fibrocimento diminui o impacto da umidade no concreto

As placas cimentícias seguem a norma técnica ABNT NBR 15498 – Requisitos e métodos de ensaio

Utilizar concreto em ambientes considerados de alta umidade já é uma alternativa viável para quem pretende construir ou reformar. A evolução das placas de cimento possibilita a redução de custos com fundações ao usuário, ao mesmo tempo em que permite a passagem de ligações hidráulicas e aceita diferentes tipos de revestimentos.Isso porque a nova tecnologia em fibrocimento – mistura de cimento e celulose, aoinvés de minerais sintéticos – tornou-se uma realidade do mercado.

De acordo com Altair Santos, colunista do site do Cimento Itambé, a construção se mostra eficiente para hotéis, hospitais e shopping centers, mas tem também aplicabilidade em empreendimentos residenciais. As placas NTF (Nova tecnologia em fibrocimento) possuem uma tecnologia que é capaz de liberar a passagem de vapor e impedir que a água entre em contato com sua superfície, facilitando seu uso em cômodos como banheiros e cozinhas.

Concreto colorido conquista espaço no mercado de construção

O custo da inovação pode variar mas, em média, chega a ser triplamente mais caro que o concreto convencional. A cor é obtida através da adição de pigmentos à mistura do material, o que o torno mais caro. Apesar do preço, dependendo do tipo de construção, as vantagens podem ser compensadoras. O concreto colorido dá efeito arquitetônico às obras e, em muitos casos, é utilizado em grandes obras para associar uma cor a uma peça nos processos de concretagem. Dessa forma, minimizam-se os riscos de a estrutura ser montada da maneira errada.

No ano passado, o 7º Fórum Colored Concrete Works, evento voltado às discussões sobre tecnologias no uso do concreto arquitetônico colorido, foram apresentados 15 cases de sucesso da aplicação do material em projetos de construção. São Paulo foi um dos destaques, sendo representada pela Praça das Artes. A alta resistência e baixo custo de manutenção, além das cores em tom madeira foram os principais responsáveis pelo reconhecimento. Mas a maior obra no quesito consumo de concreto colorido foi feita na Europa: cerca de 240 mil m³ de concreto de diversas cores foram utilizados na construção dos nove edifícios da Cidade da Justiça, em Barcelona. Com a apresentação dos cases, o Fórum mostra a versatilidade e aprovação dos que já utilizaram esse tipo de material.

Concreto autoadensável e sistema protendido são protagonistas do pré-fabricado

Um balanço divulgado pela ABCIC revela que o setor não tem medido esforços para melhorar suas linhas de produção

A Associação Brasileira da Construção Industrializada de Concreto (ABCIC) divulgou recentemente um balanço voltado às expectativas da indústria de pré-fabricados de concreto para o mercado em 2015. Os resultados mostram que os sistemas de concreto pretendido e concreto autoadensável ficam em primeiro lugar na produção das empresas do setor.

De acordo com o portal Massa Cinzenta, o estudo diz que 59,5% das peças produzidas consumiram concreto com protensão, enquanto 58,1% utilizaram o autoadensável como matéria-prima. No que se refere ao concreto armado, a porcentagem de uso fica em torno dos 40%. Além disso, a pesquisa mostra que, em 2014, o setor de construção industrializada absorveu 407 mil toneladas de cimento, produzindo 1,063 milhão de m³ em estruturas pré-moldadas.

Os ganhos de produtividade e a qualidade desses materiais são os principais responsáveis pela preferencia do mercado. No caso da protensão, o risco de fissuras é bem menor, deixando as peças mais resistentes. Já quando o assunto é concreto autoadensável, as vantagens chamam a atenção no quesito custo por m² e acabamento.

RCO comemora 24 anos de existência com colaboradores

Retrospectiva e premiação fizeram parte da programação do evento

Fundada em 1991, a RCO completou neste mês seu 24º aniversário. A data, além de marcar uma longa jornada de dedicação, trabalho em equipe e força de vontade, contou com uma comemoração organizada pela empresa em homenagem aos seus colaboradores. O objetivo do evento foi promover a aproximação das equipes de trabalho.

Com duração de uma hora e a participação de mais de 100 colaboradores, o encontro teve como uma das atrações a retrospectiva dos melhores momentos RCO – mostrando desde a sua fundação até os dias de hoje, dando um panorama da posição favorável de mercado na qual a empresa se encontra. “Começamos nossas atividades com um sonho idealizado por um de nossos diretores, e hoje vivenciamos uma realidade. Fazer parte deste time é motivo de muito orgulho para nós. E que venham muitas outras comemorações!”, diz Celso Carvalho, Gestor de RH da RCO.

O melhor, no entanto, veio depois: quando Abraão Zanardi, Líder de Produção Mecânica, e Alex Zompero, Coordenador de Marketing – o mais antigo e o mais novo colaborador, respectivamente – foram premiados com um final de semana em um hotel fazenda em Poços de Caldas (MG). A premiação de acordo com a empresa foi a forma encontrada de homenagear aqueles que ajudaram e ainda vão ajudar a RCO a alcançar seus objetivos.

Treinamento aperfeiçoa segurança do trabalho na RCO

A empresa reuniu seus colaboradores em Mococa (SP) para discutir a norma regulamentadora NR10
A RCO promoveu, no último dia 11 de abril, um encontro entre os colaboradores da área elétrica da empresa, com o objetivo de capacitar a equipe os participantes foram apresentados a conteúdos que incluíam a identificação de riscos em instalações e serviços com eletricidade, identificação de equipamentos de proteção individual e coletiva e capacidade para aplicação de normas e procedimentos de segurança do trabalho e proteção ao meio ambiente. As habilidades de trabalho em equipe, atenção aos detalhes e organização também foram trabalhadas.

Com o treinamento, a RCO mantém sua cultura de segurança, evitando fazer parte das estatísticas do Tribunal Superior do Trabalho (TST), as quais indicam que os acidentes de trabalho registrados no Brasil aumentaram significativamente. Em 2010, o número de casos foi de 709.479, enquanto em 2011, esse total subiu para 711.164. Muitos desses acidentes estão relacionados à eletricidade e a Norma Regulamentadora 10 (NR-10) ajuda a evitar o crescimento dessas estatísticas, uma vez que seu principio parte da ideia de propiciar segurança do trabalho para os colaboradores que, de forma direta ou indireta, mantêm contato com eletricidade no ambiente em que trabalham.

Evento organizado pela RCO estreita relação da empresa com seus fornecedores

Fotos do evento

A RCO realizou em Tambaú (SP), no último dia 10, a primeira edição do Workshop de Fornecedores. O objetivo do evento, de acordo com Edvaldo Fernandes, responsável pelo Departamento de Compras, foi se aproximar dos parceiros da empresa e buscar por possíveis melhorias em diversos setores da companhia, como o de compra, controle, qualidade e manutenção.

Além disso, o evento apresentou as novas tecnologias e soluções de mercado desenvolvidas pela RCO. Outra oportunidade dada aos participantes foi a de conhecer as futuras instalações do Projeto FIT – programa que cuida da inserção completa de usinas de concreto, incluindo planejamento, processos e equipamentos. “Estamos atuando em conjunto com a RCO nessa busca por alternativas e inovações. Devo parabenizar a equipe organizadora do evento, apresentado com clareza e objetividade”, diz Eliandro Serafini, do Departamento Comercial da Geremia Redutores.

Para Edvaldo, o workshop não é só uma forma de conhecer melhor os fornecedores que já fazem parte da equipe, mas também funciona como meio de atrair novos parceiros. “Existe um crescimento projetado para esse ano. Acreditamos que com a aproximação e conquista de novos amigos vamos conseguir garantir a inovação e qualidade aos nossos clientes”, explica.

Congresso prevê investimentos anuais de R$ 560 bilhões no setor de construção até 2022

Os dados vêm de estudo realizado pelo Congresso Brasileiro de Construção, mais conhecido como Construbusiness

O estudo realizado pela Construbusiness, congresso desenvolvido pelo Departamento da Indústria da Construção da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Deconcic-Fiesp), avaliou um cenário de 9,1% do Produto Interno Bruto (PIB) nacional e previu que o Brasil vai investir anualmente R$ 560 bilhões por ano – cerca de 9% do PIB nacional – para atingir um patamar econômico positivo até 2022.

De acordo com nota publicada pela Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), o estudo apresenta dados que mostram que a média anual de investimentos em infraestrutura, entre os anos de 2010 e 2014, foi de mais de R$ 180 bilhões (3,8% do PIB brasileiro). O resulto é maior infraestrutura e geração de empregos. Em entrevista à Associação, Carlos Eduardo Auricchio, diretor do Deconcic, explica que esses investimentos têm enorme impacto sobre a competitividade do país no setor. Para ele, esse comportamento garante a oferta de serviços de transporte, energia e telecomunicação, aumentando a produtividade de toda a economia do Brasil.

Nova tecnologia evita as patologias do concreto

Desenvolvido pela Universidade de Wisconsin-Milwaukee, nos EUA, o material é a prova d’água e promete durabilidade superior a 100 anos

A inovação trata-se de um concreto de alto-desempenho. O produto, desenvolvido por pesquisadores da Universidade de Wisconsin-Milalkee (EUA), teve sua estrutura molecular modificada através do implemento de compostos impermeáveis, como fibras polivinílicas e aditivos. Com isso, o concreto ganhou uma superfície microscópica pontiaguda que, ao entrar em contato com água, faz com que ela se espalhe e vá para fora da placa. No caso do concreto comum, a água é acomodada em cavidades e, posteriormente, absorvida pelo material.

O produto, denominado Compósito Cimentício Super-hidrofóbico (SECC), ainda está em fase de testes em estradas internadas da universidade americana. Abaixo dela, foram instalados eletrodos, os quais estão conectados diretamente a um sistema de captura de dados. Desse modo, os pesquisadores conseguem avaliar se a água está ou não sendo absorvida pelo concreto. Outras substâncias também podem ser reconhecidas pelo sistema, como íons de cloreto, responsáveis por grande parte das patologias de concreto.