Construtora economiza 30% na compra de concreto em obra no Maranhão

Canopus montou operação compacta, com central dosadora da RCO e caminhões betoneiras, aliado ao método de paredes de concreto. Projeto de residencial envolve a ativação de mais de 1,4 mil habitações no prazo de 20 meses

Depois de 40 anos de atividade e mais de 2 milhões de metros construídos, a construtora maranhense Canopus sabe como usar a experiência a seu favor. A empresa, que já construiu de shopping centers a postos de gasolina, entrou no programa Minha Casa, Minha Vida há sete anos. Só nesse segmento, ela entregou um volume superior a 15 mil casas.

No ano passado, ao assinar o contrato para a obra do Residencial Morada do Sol, na capital São Luiz, a construtora – que possui também uma divisão de pré-fabricados – resolveu pensar diferente e adotar novas tecnologias. O resultado? Uma redução média de 30% no custo do concreto.

Para atingir a redução, a Canopus combinou a adoção do método de parede de concreto na construção das casas, substituindo a alvenaria tradicional. Para atender o cronograma apertado de entrega de 1414 habitações – de abril do ano passado a dezembro desse ano – a empresa percebeu que o fornecimento das concreteiras regionais não daria conta no volume e no prazo que ela precisava.

Nomad D-30 instalada na planta da Canopus Construções

Ao mesmo tempo, a empresa detém uma divisão de pré-fabricados que poderia ganhar com a automação maior de suas atividades. Juntando as duas informações, a construtora resolveu montar uma planta de concretagem compacta, formada pela central dosadora Nomad D-30, fabricada pela RCO, e por dois caminhões betoneira. Flexível, a central será transportada e remontada na unidade de pré-fabricados de concreto da Canopus assim que o Residencial for entregue.

 

“Percebemos que a nova forma de trabalhar poderia ser uma oportunidade para a redução de custos, pois precisamos de agilidade na concretagem”, explica o diretor de Engenharia da Canopus, Brenno Santiago. Segundo ele, a implementação tem sido um sucesso e tornou-se crucial para a finalização do condomínio.

Anderson Farias, gerente de obras da Canopus, complementa a informação de Santiago, ao avaliar os ganhos. “Temos uma demanda de aproximadamente 200 m³ de concreto por dia. Não poderíamos deixar de concretar, pois o prejuízo seria de cerca de 8 mil reais diários e isso sem contar outros fatores, como mão de obra parada”, diz.

Com a ativação da própria planta, a Canopus deixou de adquirir concreto de fornecedores da região, evitando desperdício de produto, inclusive com as etapas de carregamento e descarregamento dos caminhões. Os ganhos incluem maior qualidade, pois a central permite a padronização maior do concreto produzido. Outra redução foi a de mão de obra, estimada em 20%. “Mais do que isso, seguimos o plano estratégico da empresa, com a meta de transferir a central dosadora para a unidade de pré-fabricados onde ficará fixa e atenderá nossas obras”, argumenta Brenno Santiago.

O planejamento da construção também melhorou. Os dois caminhões adquiridos, com capacidade para 8 m³ cada, são abastecidos diariamente com a produção da Nomad D-30. “A central dosadora móvel foi uma escolha acertada, estudamos os modelos de centrais e essa foi a adequada para o nosso volume. Esse fator nos deixou muito satisfeitos”, detalha Farias.

Alex Nogueira, consultor de vendas da RCO, explica que o processo de escolha do equipamento para as necessidades da Canopus é o resultado da atenção voltada ao cliente. “Em nosso primeiro contato, conseguimos captar qual era a demanda da Canopus e vimos que a central dosadora Nomad D-30 se encaixaria perfeitamente”, diz. “Ela é prática, possui uma capacidade de produção interessante e a característica da mobilidade”, complementa o consultor. Ele também destaca que a instalação do equipamento é feita em um dia, o que agiliza o início das operações.

Brenno Santiago, diretor de Engenharia da Canopus, conta que a intenção é adquirir um silo de armazenagem ainda no primeiro trimestre de 2016 para complementar as operações da construtora. De acordo com ele, as perspectivas da empresa são de crescimento. “Com toda a crise que o mercado está passando, temos que buscar alternativas de redução de custo nas nossas operações, além da agilidade e garantia dos nossos processos”, finaliza.

RCO forma equipe para aprimorar centrais de concreto

Equipe RCO: foco em melhorias para as Centrais de Concreto.

A RCO lançou no mercado, no início do segundo semestre de 2012, centrais dosadoras de concreto. As novidades foram muito bem recebidas pelo mercado por conta da qualidade e eficiência dos equipamentos, atributos estes que fizeram parte, desde o início, do conceito de projeto destas soluções RCO. Resultados e feedback´s positivos já começam a surgir onde registrou-se  índices elevados de produtividade e resistência dos equipamentos em operação.

No entanto, para manter a qualidade e o aprimoramento constante nas Centrais Dosadoras RCO, a empresa formou uma equipe de técnicos cujo objetivo, entre os já citados, é garantir que os equipamentos RCO estejam alinhados às necessidades dos clientes, bem como ocorrer uma compreensão técnica global destas soluções e agilizar solicitações em manutenção ou dúvidas técnicas. A agilidade nas respostas da empresa vem de encontro com a condição de oferta a pronta-entrega para estes equipamentos RCO.

A equipe, composta por montadores e técnicos mecânicos e elétricos, e ainda coordenada por engenheiros mecânicos, recebe treinamentos constantes dentro durante o processo de fabricação  e em campo, com o equipamento em funcionamento nas condições reais de uso para aferimento de indicadores.

Para 2013, uma das principais orientações é que os integrantes deste time apresentem sugestões de melhorias em todos os aspectos dos equipamentos, desde o projeto, passando pelo atendimento, fabricação e pós-vendas.

Selo “Precisou tá na mão” atesta equipamento RCO a pronta-entrega

Soluções mais  eficientes, com a máxima rentabilidade com um menor tempo possível. Essa é uma, entre outras máximas, que norteiam os mercados. E não é diferente para a produção de concreto, item este essencial para obras civis de qualquer porte.

Pensando na agilidade, a RCO disponibiliza no mercado Silos e Centrais de Concreto a pronta entrega, isto é, “Precisou, tá na mão.” Sendo assim, não há tempo de espera para produção dos equipamentos, deixando de ser uma encomenda. Centrais de concreto e silos já estão disponíveis para fechamento de pedido com grande rapidez. Após formalização comercial e acertado todos os trâmites de aquisição de equipamentos, estes já podem serem entregues ou retirados na RCO em pouquíssimo tempo. Simples assim!

Desde agosto de 2012, as centrais de concreto modelos CDR 30 RS, CDR 40 e CDR 80 e também silos soldados, encontram-se disponíveis para compra e entrega imediata.

Consulte a equipe comercial para maiores informações.

Centrais de Concreto RCO conquistam o mercado da construção civil

A RCO entra no mercado de cimento e concreto, segundo semestre de 2012, de forma consistente e diferenciada. Desde 2011, a empresa vem produzindo Centrais Dosadoras de concreto onde atualmente alguns modelos já fazem parte do cenário de grandes obras pelo território brasileiro, desde a mais simples solução em dosagem de concreto até a solução mais completa.

Todas as soluções RCO em centrais de concreto são de desenvolvimento próprio, fabricadas no Brasil, dentro de um conceito de projeto que privilegia a robustez, durabilidade e a modularidade.

Considerando o portfólio de soluções, inicia-se pelo modelo mais simplificado CDR 30 RS, conhecida também como “central rasga-saco”. O principal benefício, além dos conceitos de projeto, é a praticidade. Pequena e de fácil montagem, ocupa pouco espaço e não necessita de fundações de concreto para fixação.

Já no modelo CDR 40, conhecida também como “central tow-go com silo”, tem-se um upgrade a partir do modelo CDR 30. O conjunto “rasga-sac0″ dá lugar a um silo de 70 m³ de capacidade para a armazenagem do cimento. Além disso, os principais benefícios giram em torno da agilidade, precisão e confiabilidade no traço de concreto!

A central dosadora CDR 80, que também é conhecida no meio por “central P4″, é um upgrade do modelo CDR 40, onde há mais um silo de 70 m³ de capacidade, totalizando em armazenamento de cimento a capacidade de 140 m³. Além disso, conta com um caixa de agregados de 4 compartimentos, que podem ser ampliados conforme o traço desejado de concreto.

Todas essas soluções RCO contam a facilidade de estarem a pronta-entrega, isto é, os modelos já se encontram disponíveis para venda e entrega rápida, sem grandes delongas.

Centrais Dosadoras RCO: a eficiência e a qualidade agora a pronta-entrega!