Retomada da indústria do cimento começa já em 2017

Avaliação é do presidente da Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP), feita nessa manhã, durante a abertura do Concrete Show South America em São Paulo. 

A indústria brasileira do cimento deve fechar o ano com uma retração entre 10% e 12%, segundo a ABCP, entidade que congrega os fabricantes do setor. Com isso, o Brasil opera com cerca de 57 milhões de toneladas/ano, quase 60% da capacidade instalada das fábricas locais. Apesar de longe dos 70 milhões de toneladas produzidas em 2014, há uma expectativa de retomada – lenta – a partir do ano que vem.

A sinalização de melhoria foi feita por Renato Giusti, presidente da ABCP, hoje de manhã na abertura do Concrete Show South America, evento que acontece em São Paulo até essa sexta. Em entrevista ao InfraRoi, Giusti ressaltou que o momento ainda é de prudência. “Precisamos avançar em inovações tecnológicas que garantam um custo menor e agilidade nas obras e a Concrete Show vem para colaborar nesse sentido. Uma feira é sempre um encontro otimista, que eleva o animo e incentiva a produtividade”, argumentou.

Consolidado como um dos principais eventos do mercado de construção, a 10° edição do Concrete Show South America reúne mais de 500 marcas nacionais e internacionais, de 150 segmentos distintos. Entre os expositores destacam-se empresas como a Basf, Gerdau, Liebherr, Yanmar, Schwing Stetter, Husqvarna, Votorantim Cimentos, LarfageHolcim e Volvo, entre outros. De acordo com os organizadores, a feira tem a expectativa de receber mais de 25 mil visitantes este ano.

Fonte: InfraROI

PCA, associação americana de cimento portland faz 100 anos

A indústria de cimento comemora esse ano uma data importante. Trata-se do centenário da Portland Cement Association (PCA), a entidade que reúne a indústria do setor nos Estados Unidos. A iniciativa está altamente ligada ao nome de Ben Affleck – quase homônimo do ator famoso – que na época era o chairman da Atlas Universal Cement, uma empresa do setor. O executivo presidiu a PCA de 1916 a 1920, levando a entidade a atingir a meta de “elevar o padrão da construção de concreto, melhorar a qualidade do trabalho e aumentar o uso do cimento em áreas já estabelecidas e em novos campos de aplicação”.

A associação atualmente funciona como uma fonte para quem quer entender as tendências tecnológicas do setor e o mercado de cimento nos Estados Unidos. Com ela, o produto ganhou uma história oficial e renovada. Os romanos, por exemplo, já utilizam amplamente o concreto, mas a evolução técnica ganhou fôlego nos últimos 100 anos. Já o precursor do moderno cimento portland foi o construtor inglês Joseph Aspdin em 1820. Como ele usava um calcário da Ilha de Portland na fabricação do material, o novo produto ganhou essa denominação.

Voltando à PCA é interessante notar que a entidade começou a partir de um escritório em Chicago, reunindo 53 fabricantes e cerca de 120 funcionários. As prioridades da entidade há 100 anos incluíam a promoção do produto e o relacionamento com o governo. O foco não estava incorreto, visto que em 1916 o congresso americano protocolou uma moção pela construção de uma rede nacional de rodovias. Para provar o custo benefício dos pavimentos rígidos – feitos de concreto – em contraponto ao asfalto flexível – a PCA liderou uma campanha maciça de anúncios com o slogan Concrete for Permanence, mote que permaneceu durante toda a década de 1950.

Para conhecer mais sobre a PCA e as mais novas tendências de mercado, entre no site da entidade: www.cement.org.

Centrais de Concreto RCO conquistam o mercado da construção civil

A RCO entra no mercado de cimento e concreto, segundo semestre de 2012, de forma consistente e diferenciada. Desde 2011, a empresa vem produzindo Centrais Dosadoras de concreto onde atualmente alguns modelos já fazem parte do cenário de grandes obras pelo território brasileiro, desde a mais simples solução em dosagem de concreto até a solução mais completa.

Todas as soluções RCO em centrais de concreto são de desenvolvimento próprio, fabricadas no Brasil, dentro de um conceito de projeto que privilegia a robustez, durabilidade e a modularidade.

Considerando o portfólio de soluções, inicia-se pelo modelo mais simplificado CDR 30 RS, conhecida também como “central rasga-saco”. O principal benefício, além dos conceitos de projeto, é a praticidade. Pequena e de fácil montagem, ocupa pouco espaço e não necessita de fundações de concreto para fixação.

Já no modelo CDR 40, conhecida também como “central tow-go com silo”, tem-se um upgrade a partir do modelo CDR 30. O conjunto “rasga-sac0″ dá lugar a um silo de 70 m³ de capacidade para a armazenagem do cimento. Além disso, os principais benefícios giram em torno da agilidade, precisão e confiabilidade no traço de concreto!

A central dosadora CDR 80, que também é conhecida no meio por “central P4″, é um upgrade do modelo CDR 40, onde há mais um silo de 70 m³ de capacidade, totalizando em armazenamento de cimento a capacidade de 140 m³. Além disso, conta com um caixa de agregados de 4 compartimentos, que podem ser ampliados conforme o traço desejado de concreto.

Todas essas soluções RCO contam a facilidade de estarem a pronta-entrega, isto é, os modelos já se encontram disponíveis para venda e entrega rápida, sem grandes delongas.

Centrais Dosadoras RCO: a eficiência e a qualidade agora a pronta-entrega!

 

ICXX acontece pela primeira vez no Brasil

De 20 a 23 de março de 2012 acontecerá pela primeira vez no Brasil e também na América Latina, o ICCX - International Concrete Conference & Exihibition. Este evento mundial é uma conferência com cursos técnicos, palestras, exposições e visitas técnicas abordando inovações e novos desenvolvimentos em cimento e concreto. A ICCX acontecerá em Florianópolis, Santa Catarina, e é apoiada por diversos órgãos e associações de classe ligadas à produção de concreto e seus derivados, bem como também da construção civil. A ICCX ocorre também em locais como Rússia, Europa e Oceania.

A ocorrência de eventos desta importância no Brasil, e ainda pela primeira vez, vem reforçar que o mercado brasileiro demanda inovações e novos debates acerca da viabilização de infra-estruturas no país, em decorrência de diversas realidades como a realização de eventos mundiais esportivos e também pelos índices de crescimento, estabilidade e fortalecimento da economia e a força do mercado consumidor que, juntos, vem demonstrando índices satisfatórios frente ao resto do mundo.

Mais informações em http://www.iccx.org/

RCO contribui para expansão da Votorantim Cimentos

 

Com o posicionamento sempre alinhado à solução da necessidade do cliente, mantendo um comprometimento com o resultado, a RCO Maschinenfabrik se destaca como parceira estratégica na unidade da Votorantim Cimentos, na unidade de Cubatão-SP.

Esse importante destaque foi organizado em um informativo e e encartado na revista Isto É de 20 de Outubro de 2010. Um dos critérios para se integrar ao informativo foi o histórico de fornecimento que a RCO tem com a Votorantim e a capacidade produtiva que a mesma possui perante projetos e equipamentos de médio a grande porte que atendem o segmento de fabricação e processamento de cimento.

Mais sobre a Votorantim Cubatão:  unidade responsável pela fabricação do cimento CPIII 32RS 50 kg e Cimento CPIII 40RS Granel além de produzir escória seca. A Votorantim Cimentos é considerada uma das dez maiores fabricantes mundiais de cimento, concreto e agregados, com 40 unidades fabris, 70 centros de distribuição e 90 centrais de concreto no Brasil e cerca de 11 mil colaboradores.  Está presente também na Bolívia, Paraguai, Chile, Argentina e Uruguai.