UHE Teles Pires com soluções em armazenamento RCO

Canteiro da UHE Teles Pires em janeiro de 2012: 1.820 megawatts de energia para abastecer 2,7 milhões de famílias. Fonte: Flickr – minplanpac

A Hidrelétrica de Teles Pires, em seu canteiros de obras, inicia a utilização de soluções RCO em armazenamento. Para esta obra, foram montados 5 silos aparafusados com 1.000 toneladas de capacidade e outros 6 silos soldados com 150 toneladas de capacidade cada equipamento, totalizando assim 5.900 toneladas de cimento armazenados em silos RCO.

Todo esse volume armazenado de cimento garante à obra uma segurança quanto ao seu andamento, pois, ao considerar o cimento como  um dos materiais fundamentais para a evolução da obra, é necessário que o mesmo esteja sempre disponível no canteiro. Leva-se também em consideração a localização da obra  e seu difícil acesso que contribuem para que haja uma quantidade considerável de cimento armazenado.

A Usina Hidrelétrica Teles Pires, sendo uma obra dentro do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento –  será construída no Rio Teles Pires, afluente do rio Tapajós, na fronteira dos estados do Pará e Mato Grosso, nos municípios de Jacareacanga (PA) e Paranaíta (MT). A UHE Teles Pires terá potência instalada de 1.820 megawatts, suficiente para abastecer uma população de 2,7 milhões de famílias.

Silos Soldados RCO com 150 toneladas em capacidade de armazenamento.

Silo Aparafusado RCO de 1.000 toneladas de capacidade em fase de montagem: a modularidade desta solução facilita da fábrica até a obra.

Com informações em Usina Hidrelétrica Teles Pires

>>>Consulte soluções em armazenagem RCO

Usina de Foz do Chapecó é inaugurada

Hidrelétrica Foz de Chapecó – Cimento utilizado constrói “oito Maracanãs”

Barragem da hidrelétrica com comportas em funcionamento

O consórcio formado por Camargo Correa Constuções, CNEC Engenharia e Alston Hydro Energia do Brasil finaliza a execução das obras da Usina Hidrelétrica de Foz do Chapecó, localizada no rio Uruguai, entre as cidades de Águas de Chapecó, Santa Catarina e Alpestre, Rio Grande do Sul.

A obra é um dos projetos prioritários do PAC – Programa de Aceleração do Crescimento- do governo federal. Com um investimento de R$ 2,64 bilhões e uma potência instalada de 855 MW, a construção gerou 7.000 postos de trabalho direto e indiretos, tendo prioridade para o desenvolvimento da mão-de-obra local. Do total investido, cerca de R$ 135 milhões foram alocados para melhoria e ampliação da infra-estrutura regional. Como diferencial técnico que impactou na finalização da hidrelétrica foi a utilização pela primeira vez de um núcleo asfáltico na vedação da barragem, algo comum em países europeus e Estados Unidos.  A barragem, de 48 metros de altura e 598 metros de extensão, foi completamente erguida em um período de cinco meses.

A RCO novamente participa de obras que trazem grande avanço para o Brasil. Com o fornecimento de silos aparafusados de alta capacidade, a solução assegurou o armazenamento de todo cimento utilizado na obra, que, segundo os número oficiais, todo o concreto utilizado  seria suficiente para construir oito estádios iguais ao Maracanã.

 

Silos RCO em Foz do Chapecó em processo de montagem – 8 silos de 380 toneladas de capacidade cada são pequenos pontos perante toda obra.