Necessidade de investimento em infraestrutura é destacado na abertura da CONSTRUCTION EXPO 2013

Abertura da Construction Expo 2013: urgência em novas infraestruturas para o país. – fonte: www.constructionexpo.com.br

O Brasil precisa, urgentemente, trocar o vetor do consumo pelo dos investimentos públicos e privados, com ênfase nas áreas de infraestrutura para crescer e gerar empregos. Com esse recado, foi aberta nesta quarta-feira, a Construction Expo 2013 – 2ª Feira Internacional de Edificações e Obras de Infraestrutura, no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo. “Há um consenso na sociedade que a elevação do volume de investimentos em infraestrutura, tanto públicos como privados, é o principal instrumento para os ganhos de competitividade que tanto necessitamos para acelerar o crescimento do PIB”, afirmou Afonso Mamede, presidente da Sobratema – Associação Brasileira de Tecnologia para Construção e Mineração, organizadora da feira. 

Em seu discurso para uma plateia de aproximadamente 250 pessoas, formada em sua maioria por autoridades federais, estaduais e municipais, além de representantes das 135 entidades ligadas à construção civil, que apoiam o evento, Mamede destacou a importância da construção civil para a economia do Pais. “Todos os setores da economia demandam produtos da construção. Em razão disso, o setor é um dos principais componentes do investimento do país. Além disso, estudos da LCA Consultoria e do IBGE apontam que para cada R$ 1,00 aplicado na construção, são gerados R$ 1,88 na economia como um todo, bem como a cada R$ 1 milhão produzidos na construção gera 70 empregos na economia”, afirmou. 

Fora esses dados, o presidente da Sobratema lembrou ainda que o setor da construção civil é o quarto maior gerador de empregos do País, tendo alcançado em 2010 a marca de 11,3 milhões de pessoal ocupado na cadeia da construção. 

Continue reading

Oscar Niemeyer, o arquiteto das “curvas de concreto”

Faleceu aos 104 anos de idade o arquiteto brasileiro mundialmente conhecido, Oscar Niemeyer. Famoso por suas importantes obras espalhadas pelo Brasil, entre elas a construção da cidade de Brasília na década de 50 juntamente com Lúcio Costa, é reconhecidamente um dos mais importantes arquitetos brasileiros, com um traço singular.

Nascido no Rio de Janeiro, onde também se graduou em arquitetura e iniciou seus primeiros trabalhos. Na década de 40, conhece Juscelino Kubitschek, então prefeito de Belo Horizonte, e recebe a encomenda do projeto do Complexo da Pampulha, onde se destaca a Igreja de São Francisco de Assis, com o teto todo curvo. Já na década de 50 recebe o convite para o desenvolvimento da nova capital do Brasil, Brasília, onde destacam-se as obras do Palácio da Alvorada, Palácio do Planalto e Palácio do Itamaraty. Após o golpe militar na década de 60, refugia-se em Paris, França.

Em sua trajetória profissional ainda destacam-se obras que são marcantes pela sua estética e importância conceitual e cultural: Edifício Copan, edifício do Partido Comunista Francês, Editora Mondadori – Milão, Memorial JK, Projeto do CIEPS, Passarela do Samba, Memorial da América Latina, Museu de Niterói, Auditório do Ibirapuera, Museu Oscar Niemeyer, Centro Cultural Niemeyer na Espanha.

Sobre todas essas obras, permanecia o conceito das curvas no concreto, inibindo os traços retilíneos e dando uma leveza às estruturas. Foi um trabalhador contínuo, querendo permanecer trabalhando dias antes de falecer.

“A vida é importante; a arquitetura não é. Até é bom saber das coisas da cultura, da pintura, da arte. Mas não é essencial. Essencial é o bom comportamento do homem diante da vida”

Emprego na construção civil cresce 7,5% em 2011 no Brasil

SÃO PAULO, 3 Fev (Reuters) – O nível de emprego na construção civil brasileira fechou 2011 com alta de 7,46 por cento, equivalente a aumento de 211,1 mil pessoas contratadas, informou nesta sexta-feira o sindicato da indústria, SindusCon-SP, em parceria com a Fundação Getulio Vargas (FGV).

Em dezembro, entretanto, foi apurada queda de 2,69 por cento nas contratações do setor em relação a novembro, com o número de demissões superando o de contratações em 83.921 pessoas.

O recuo mensal, segundo a entidade, pode ser atribuído ao retorno de uma parte dos trabalhadores a seus Estados de origem, no período de festas de fim de ano, assim como à conclusão de algumas obras.

No Estado de São Paulo, o emprego no setor aumentou 5,7 por cento no ano passado em relação a 2010, sendo que na capital paulista houve crescimento de 7,24 por cento.

“O setor atingiu um novo patamar de atividade, com um ritmo de crescimento mais moderado e adequado ao momento atual”, afirmou o presidente do SindusCon-SP, Sergio Watanabe, em nota. Em 2010, ano de forte expansão para o mercado imobiliário, foram criados 319 mil empregos na indústria.

Ao final de dezembro, a construção civil brasileira registrava mais de 3 milhões de trabalhadores contratados.

(Por Vivian Pereira – Reuters – http://br.reuters.com/article/businessNews/idBRSPE81201Z20120203)