Flexibilização da Produção RCO

Qualidade, Prazo e Satisfação garantida são fatores inquestionáveis ao se tratar da melhor oferta ao mercado consumidor. É através destes critérios, entre outros mais,  que uma empresa fideliza seus clientes.

Mas um outro fator que ajuda a fidelizar os clientes e atender o mercado de forma mais ampla é, rotineiramente, moldar o processo produtivo para a real necessidade destes clientes, isto é, deixá-lo de tal modo flexível a ponto de adaptar-se à fabricação de diversos equipamentos.

A flexibilização da produção na RCO é uma realidade e engajamento de diversos departamentos. Adaptar os processos e orientar as pessoas para que as diversas condições de fabricação sejam as melhores possíveis é um desafio diário. A RCO opera em diversos segmentos industriais, com soluções diferenciadas para segmento e, portanto, ser flexível na condição de fornecimento é um rotina corporativa.

Atualmente, devido ao aquecimento do mercado de construção civil, silos e centrais de concreto ocupam grande parte da produção da RCO. Porém, ainda há os clientes do segmento de pneus, por exemplo, cuja necessidade é totalmente diferente e que, mesmo sendo equipamentos de pequeno porte como carrinhos de movimentação, a RCO alinha sua produção para ambas dimensões e portes de equipamentos sejam fabricados sem grandes impedimentos. A RCO adianta-se em mencionar que esta flexibilização produtiva seria um de seus grandes diferenciais de mercado.

Flexibilizar a produção na RCO: condição para fabricar carros de movimentação à silos de grande porte.

Indústria atinge em março o maior nível da história

O setor cresceu 0,5% em relação a fevereiro. No acumulado do ano, a produção industrial registra avanço de 2,3%


A produção industrial brasileira segue em expansão e está no maior nível da história, afirmou o IBGE nesta terça-feira. Em março, houve aumento de 0,5% em relação a fevereiro na série com ajuste sazonal – isto é, após o cálculo que elimina o efeito das variações típicas dos meses do ano. Na comparação com igual mês do ano passado, o indicador revelou uma queda de 2,1%.

No primeiro trimestre de 2011, a produção industrial já acumulada alta de 2,3%. A variação em doze meses até março aponta um crescimento de 6,8% ante o mesmo período do ano anterior.

Recorde - Além do aumento da produção industrial verificado no terceiro mês do ano, o IBGE reviu para cima os números de janeiro e fevereiro. Com a alteração, o primeiro trimestre inteiro apresenta dados positivos e traduzem um nível de atividade recorde. “Com esses resultados, o patamar de produção de março de 2011 alcançou o ponto mais elevado desde o início da série histórica”, afirmou o IBGE em nota.

Os dados de fevereiro e janeiro na comparação com os meses imediatamente anteriores foram revistos para cima para, respectivamente, 2% e 0,3%, ante leituras preliminares de 1,9% e 0,2%.

Setores - Em relação a fevereiro, foi observado aumento em 13 dos 27 setores pesquisados, com destaque para material eletrônico e equipamentos de comunicações (10,1%) e máquinas e equipamentos (1,8%). Entre as categorias de uso, bens de consumo duráveis e bens de capital tiveram os maiores crescimentos, de 4,1% e 3,4%, seguidos por bens de consumo semi e não duráveis (1%). Já a produção de bens intermediários caiu, em 0,2%.

Na comparação com março do ano passado, que teve dois dias úteis a mais que neste ano, houve queda em 17 dos 27 setores, sendo as maiores em outros produtos químicos (-8,6%) e edição e impressão (-12,9%). Todas as categorias de uso tiveram retração, sendo as maiores de bens de consumo duráveis (-5,2%) e de bens de consumo semi e não duráveis (-3,7%), seguidas por bens intermediários (-0,4%) e bens de capital (-0,1%).

Fonte: Revista Veja – ECONOMIA – 03/05/2011

Aumento de 35% em efetivo na RCO

A RCO Maschinenfabrik aumentou, desde novembro passado, seu efetivo em 35%. O quadro  de funcionários atual atenderá o volume de pedidos e processos de grande porte que a RCO possui atualmente em andamento. Mesmo com as festividades de final de ano, a empresa não diminuirá o ritmo de produção e atendimento aos clientes, iniciando 2011 com carga máxima de produtividade.

Brasil mais propenso à produção e ao consumo

De acordo com pesquisa divulgada pelo Banco Asiático de Desenvolvimento, o Brasil é o sexto país no ranking de potencial e consumo brasileiro deve crescer continuamente.

O estudo é realizado com base em quatro fatores. O primeiro deles leva em consideraçào o nível de sotisfaçào dos produtos brasileiros. O segundo a diversificação dos mesmos. O terceiro as características únicas e o quarto avalia o potencial de vender outros produtos com vantagem comparativa para o exterior.

Na lista dos 130 países avaliados, o Brasil só perdeu para China, Índia, Polônia, Tailândia e México, respectivamente.

fonte: www.euseivender.com.br

Produção recorde de paletes metálicos

Palete Metálico RCO

Palete metálico RCO exige ampliação fabril.

Com o objetivo de atender mais um novo cliente, a RCO ajusta seu programa de fabricação para a produção recorde de paletes metálicos.
Além de atender o cliente com a oferta de um equipamento de qualidade, foi necessária uma adequação do chão de fábrica para que os prazos de entrega fossem respeitados, comprovando a capacidade fabril RCO para atendimento total do pedido.
O setor de pintura recebeu um sistema de monovia, interligando as câmaras dos processos de jateamento e pintura. Sendo assim, houve ganho significativo no tempo de finalização do produto para disponibilizá-lo para a expedição.