Obra de metrô de Los Teques, Venezuela, com Silos RCO

Silos RCO aparafusados com 270 toneladas de capacidade cada: armazenagem de cimento para o Metro de Los Teques, Venezuela.

O Grupo Odebrecht, cliente da RCO, mantem atuação marcante na Venezuela, país sulamericano fronteiriço ao Brasil. Atualmente, a obra que se destaca é a do Metrô de Los Teques, cidade que se beneficiará deste meio de transporte onde reduzirá consideravelmente as chamadas “colas”, que são os congestionamentos e o tráfego intensos de veículos da cidade de Los Teques até a capital venezuelana, Caracas. Com o metrô em funcionamento, trajetos que antes demoravam mais de 2 horas, serão percorridos em poucos minutos.

“A Linha 2 será fundamental para garantir que o sistema não entre em colapso”, explica Marcelo Colavolpe, Diretor de Contrato das obras das linhas 1 e 2, há 20 anos na Odebrecht. Projetada para transportar 12 mil passageiros/dia até o fim de 2008, a Linha 1 já transporta atualmente 50 mil passageiros/dia. Por isso, a C. A. Metrô Los Teques decidiu fazer a Linha 2, ao mesmo tempo em que estuda a construção da Linha 3. Enquanto isso, a Odebrecht executa, para a C. A. Metrô de Caracas, as Linhas 3 e 5 na capital.”

Para esta obra, como acontece na maioria das situações, os silos assumem a função de manterem a continuidade do processamento de concreto através do armazenamento de cimento. Em outras palavras, silos são como “pulmões” que impedem que a obra se paralise por falta de concreto. Em Los Teques, foram implantados 4 silos aparafusados de 270 toneladas de capacidade cada, num total de mais de 1.000 toneladas armazenadas em cimento.

Saiba mais sobre a obra aqui.

Saiba mais sobre os silos aparafusados RCO.